Mário Grilo     |       01 fev 2018

Entenda o impacto da troca de Blake Griffin para Clippers e Detroit

Não é de hoje que NBA surpreende com trocas que causam espanto e dúvida nos fãs. A movimentação que mexeu com o mercado esta semana foi Blake Griffin deixando os Clippers para mudar o Detroit de patamar. Desembarcaram em Los Angeles Avery Bradley, o ala Tobias Harris e o pivô Boban Marjanovic, além de duas escolhas de Draft. Para Detroit, além de Griffin, Willie Reed e Brice Johnson foram enviados à nova equipe.

Mas o que realmente está por trás dessa inesperada mudança?

Para responder a essa questão, é preciso voltar ao início da temporada: a cúpula do LA Clippers renovou o contrato do camisa 32 por cinco temporadas e chegou a prometer que o astro encerraria a carreira na equipe. Porém, mais uma temporada de lesões do jogador, aliado ao desejo de renovação da nova diretoria, fizeram com que a nova diretoria mudasse de planos.

Forçado por várias outras lesões no elenco, Doc Rivers acabou descobrindo talentos na liga de desenvolvimento. Jogadores como Tyrone Wallace e Jawun Evans evoluiram muito o jogo e ao lado dos experientes Milos Teodosic e Gallinari, podem ser a base para o futuro dos Clippers. Os nomes de Jordan e Lou Willians não foram citados por um simples motivo: a franquia ainda pretende trocá-los até o fim da temporada.

A grande razão para tudo isso é criar um espírito vencedor na franquia e a grande cartada é abrir espaço no elenco para tentar seduzir LeBron James, que está em fim de contrato com o Cleveland. O jogador chegaria para ser o novo astro do clube, atraindo bons jogadores e adicionando experiência aos jovens do elenco e possíveis futuras escolhas de draft.

Se pelo lado dos Clippers a ideia é renovação, o Detroit tenta uma última aposta para mudar de patamar. Griffin chega para ser o maior talendo da franquia na década. Stan Van Gundy, atual técnico e GM do time, está pressionado para fazer a equipe evoluir e atingir os playoffs na temporada. Hoje a equipe está na nona posição no leste, duas vitórias atrás do Philadelphia. O início promissor se transformou em dúvida desde a lesão de Reggie Jackson. Com o terceiro pior ataque da NBA desde então, a aposta é que Griffin e Andre Drummond formem uma dupla de respeito no garrafão dos Pistons.

Motivados por desejos bem distantes, as diretorias de Clippers e Detroit agitaram o mercado da NBA e a resposta sobre quem se deu melhor com a troca dependerá agora de novos passos. Se Blake Griffin se mantiver saudável, o Detroit tem tudo para fazer barulho no lado leste. Pelo lado do Clippers, Jerry West parece ter só começado um trabalho, que vai depender muito mais do período de transferências do que propriamente das peças adicionadas ao elenco.

Foto: BasketSession.com