João Moreira     |       31 mai 2018

Zidane surpreende e anuncia saída do Real

O mundo do futebol foi pego de surpresa na manhã desta quinta-feira: Zinedine Zidane anunciou a saída do Real Madrid cinco dias depois de ter conquistado a Liga dos Campeões pelo clube espanhol. O francês comunicou o pedido de demissão ao presidente do Real, Florentino Pérez, e aos jogadores na noite desta quarta-feira. Na manhã desta quinta, Zidane anunciou a decisão à imprensa e ao público em entrevista coletiva.

Pela fala do treinador na coletiva, pode-se perceber certa insatisfação com os rumos e as decisões pelas quais a diretoria do clube tomava e isso deve ter pesado na sua saída. Além disso, a entrevista de Cristiano Ronaldo logo após a conquista da Champions no sábado, na qual o português deixa no ar uma possível saída do Real e também a insatisfação de Bale pela reserva, revelam um certo desconforto no vestiário, algo que Zizou não admite, já que a homogeneidade no pensamento do grupo é um dos pilares do comando do treinador.

Foram 887 dias de trabalho, 9 títulos e mais altos do que baixos à frente do Real Madrid. A passagem de Zidane pelo clube como treinador foi proveitosa para os dois lados. O francês sai do Real consolidado como um grande técnico, vencedor e com carta branca para trabalhar em qualquer gigante do mundo. Já o clube termina esses quase três anos de Zidane como o time mais poderoso do mundo, maior campeão da Europa e hegemônico no continente. Agora, é vida que segue para os dois.

FUTURO DE ZIDANE

Como era de se esperar, assim que Zidane anunciou a saída do cargo, a imprensa já começou a especular o futuro do treinador. Zizou só deve retornar ao batente após a Copa do Mundo e o mais provável é que o banco de reservas da seleção francesa seja o seu destino. Zidane nunca escondeu de ninguém o desejo de treinar a França. Aliado a isso, o técnico se formou na escola nacional francesa para treinadores, requisito fundamental para comandar a seleção. Outro fator que pesa para que Zidane assuma os Bleus é a falta de oportunidades no mercado, uma vez que as cadeiras de treinador dos principais clubes do mundo já estão preenchidas.

SUBSTITUTO

Se Zidane não tem muitas opções de mercado, não podemos dizer o mesmo do Real em busca de seu novo treinador. O clube merengue tem três linhas para buscar seu novo comandante: a primeira seria buscar um técnico experiente e consolidado como Arsene Wenger (ex-Arsenal), Maurizio Sarri (ex-Napoli) ou Massimiliano Allegri (Juventus). A segunda seria optar por um treinador jovem e de sucesso como Mauricio Pochettino (Tottenham) ou Joachim Low (Alemanha). A terceira, e mais provável, seria optar por um treinador da “casa” como ocorreu com o próprio Zidane. Guti, treinador das categorias de base do clube, ou Solari, técnico do Real Madrid B, podem trilhar o mesmo caminho de seu antecessor.

NÚMEROS NO REAL MADRID (4/1/2016 - 31/5/2018)

Jogos - 149
Vitórias - 104
Empates - 29
Derrotas - 16
Aproveitamento - 76,2%
Títulos - 9 (2 Mundiais de Clubes; 3 Liga dos Campeões; 2 Supercopa da UEFA; 1 Campeonato Espanhol; Supercopa da Espanha)

ABRE ASPAS

Zinedine Zidane - técnico
“Não mudou nada. É um desgaste natural. Quando digo isso em 20 de fevereiro, não penso, digo com sinceridade. O que dizia é que neste clube pode acabar de um momento a outro. No dia a dia, acabou para mim, depois de três anos. Não estou cansado de treinar. Estou há três anos, mas o momento aqui se acabou. Claro que pode ser um "até logo". O Real me deu tudo, e vou estar por aqui, perto deste clube toda a vida. A decisão para muitos não tem sentido, mas para mim, sim. É o momento de fazer uma mudança. Serenidade, trabalho, entrega, o que é este clube. Ter o respeito dos jogadores foi fundamental. Os jogadores não têm nada a ver com minha decisão. Depois de três anos com um treinador é difícil. Sou ganhador, gosto de ganhar em qualquer coisa, não gosto de perder. Se tenho a sensação de que não vou ganhar, tem que fazer uma mudança. Como jogador, quando vi que não estava ganhando, saí. Não culpo ninguém. Eu posso ter culpa. Tomei a decisão e me vou.”

Florentino Pérez - presidente do Real Madrid
“Depois de ganhar uma copa europeia, é uma decisão inesperada, mas só podemos aceitar a decisão e respeitá-la. A mim, causou um grande impacto quando soube da decisão. Gostaria de convencê-lo, mas sei como é. Quero agradecer sua entrega, carinho e tudo que fez pelo Real Madrid nestes anos. Não é uma despedida, é um "até logo". Mas, sim, precisa de descanso, e também merece.”

Cristiano Ronaldo - atacante do Real Madrid
“Só sinto orgulho de ter sido seu jogador. Míster, obrigado por tanto.”

Sergio Ramos - capitão do Real Madrid
“Como jogador e agora como treinador, decidiu se despedir no auge. Obrigado pelos dois anos e meio de futebol, trabalho, carinho e amizade. Você se vai, mas seu legado é inapagável. Um dos capítulos mais vitoriosos da história de nosso querido Real Madrid.”

Casemiro - meia do Real Madrid
“Não tenho palavras para agradecer tudo que fez por este vestiário, pelo Real Madrid e pelo madridismo. Foi um orgulho e um privilégio ter como treinador meu ídolo. Eterno Zizou.”

Marcelo - lateral do Real Madrid
“Aprendi muito ao seu lado! Aproveitei como uma criança cada treinamento, cada jogo, cada conversa e cada conselho! Muito obrigado por tudo! É muito especial para mim! Fez história com seu trabalho, dedicação, amor, paixão e sobretudo com sua humildade! Obrigado por tudo!”

Foto: Twitter/@realmadrid