João Moreira     |       28 mar 2018

Borja perde pênalti e Colômbia só empata com a Austrália

Depois de conseguir uma vitória histórica contra a França, a Colômbia ficou no empate sem gols diante da Austrália nesta terça-feira. O técnico José Pekerman aproveitou o duelo contra os australianos para testar variações no jogo da equipe e também para promover a mudança de alguns atletas em relação ao amistoso contra a França.

PRIMEIRO TEMPO

A partir do momento que a bola rolou no estádio do Fulham, em Londres, a Colômbia tentou pressionar a Austrália no começo do jogo. O quarteto ofensivo formado por James Rodríguez, Uribe, Bacca e Falcao García mostrou entrosamento nas tramas do ataque e um deles quase abriu o placar logo aos 4 minutos. Cruzamento da direita, Uribe se antecipou ao goleiro Jones e desviou de cabeça pro gol vazio. A bola caprichosamente saiu ao lado da meta. Apesar da superioridade física do time australiano, a velocidade colombiana levava vantagem em cada movimento ofensivo. Ainda antes dos 15 minutos, Falcao García recebeu na área, mas faltou capricho na hora de tocar para o companheiro melhor posicionado. Isso foi praticamente tudo que aconteceu no primeiro tempo, porque a partir daí o que se viu foi um deserto de ideias do setor de criação da Colômbia e uma mentalidade bem defensiva - como é típica - da seleção australiana. Apesar dos inúmeros erros de passes e de finalização das jogadas, cada equipe teve mais uma chance de abrir o placar até o fim da primeira etapa. Primeiro, James Rodríguez, dentro da pequena área, finalizou torto o cruzamento vindo da esquerda. Depois foi a vez do atacante Juric chutar cruzado e assustar o goleiro Ospina.

SEGUNDO TEMPO

O comandante da seleção colombiana voltou com o atacante do Palmeiras, Borja, no lugar de Falcao García a fim de promover mais movimentações no setor ofensivo. A ideia deu certo. Em sua primeira chance, Borja tentou uma bicicleta que faz a bola passar por cima do gol de Vukovic, mas o suficiente para levantar a torcida cafetera. Apesar da dinâmica nova que o palmeirense deu ao ataque, a pontaria estava descalibrada. O camisa 16 perdeu uma ótima chance de cabeça aos 18 minutos. Só dava Colômbia. Ou melhor, só dava Borja. O atacante teve mais uma chance de cabeça, mas dessa vez a bola, caprichosamente, acertou a trave australiana. O gol parecia questão de tempo. E tinha tudo pra sair quando Borja foi derrubado na área pelo goleiro Vukovic e o árbitro marcou pênalti. Ele mesmo foi pra cobrança, mas parou nas mãos do goleiro. Pra fechar a noite terrível de Borja, ele mais uma vez acertou a trave depois de cruzamento venenoso pra área nos minutos finais.

IMPRESSÕES

A Colômbia tem uma equipe formada e ofensiva, mas que enfrenta algumas dificuldades quando enfrenta adversários mais retrancados como o de hoje. O empate contra a Austrália serve para alertar sobre uma possível impotência diante de um rival que jogue totalmente atrás da linha da bola. O setor de ataque cria muitas chances, mas peca um pouco na hora da finalização. A defesa funciona bem e está bastante segura. Jogadores como Borja, apesar dos gols perdidos, Wilmar Barrios e Mojica mostraram que podem substituir os titulares sem que o rendimento da equipe caia.

FICHA DO JOGO

Colômbia: Ospina; Arias, Zapata, Murillo (Mina), Mojica; Aguilar (Lerma), Wilmar Barrios, Uribe (Chará), James Rodríguez (Moreno); Bacca (Izquierdo), Falcao García (Borja).

Austrália: Jones (Vukovic); Risdon, Milligan, Degenek, Behich; Luongo (Irvine), Jedinak, Leckie (Rukavytsya), Nabbout (Kruse), Rogic (Troisi); Juric (Tim Cahil)

Foto: globoesporte.com