Guerrero é liberado para disputar a Copa
  João Moreira     |       31 mai 2018

Guerrero é liberado para disputar a Copa

O que parecia impossível aconteceu. Paolo Guerrero vai disputar a Copa pelo Peru. O atacante do Flamengo, que havia sido suspenso por 14 meses pelo TAS (Tribunal Arbitral do Esporte) por causa de um teste de doping que acusou um metabólico da cocaína, teve acatado pela Justiça Comum da Suíça (JCS) um pedido de efeito suspensivo da punição. Com a decisão, que tem caráter superprovisório, Guerrero está liberado para a disputa do Mundial, mas não significa que o peruano não tenha que cumprir a suspensão após a competição, já que a JCS explicitou a liberação entre os dias 14 de junho e 15 de julho, datas de início e fim da Copa, respectivamente. Aos 34 anos, o camisa nove tem no Mundial da Rússia - provavelmente - a última chance de defender seu país numa Copa, já que em 2022 o atacante terá 38 anos.

Além do próprio jogador e da torcida peruana, quem deve ter comemorado muito a decisão foi o treinador da seleção, Ricardo Gareca. O argentino ganha um reforço de peso às vésperas do Mundial. Guerrero, além de ser um dos jogadores mais experientes do elenco, agrega em poder de finalização e técnica numa equipe que tem no setor ofensivo uma de suas maiores qualidades. Mas o mais importante é que a decisão reforça o espírito anímico do Peru.

Outra parte interessada no caso é o Flamengo, clube o qual Guerrero tem contrato até agosto de 2018. Como o efeito suspensivo tem teor superprovisório, o staff do jogador e a diretoria rubro-negra terão que batalhar mais uma vez para revogar a suspensão emitida pelo TAS. O mais provável é que as duas partes acertem uma rescisão, ou até esperem o fim do contrato, para que cada uma siga seu caminho.

ENTENDA O CASO

Paolo Guerrero foi flagrado no exame anti-doping após um jogo entre Argentina e Peru, válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo em outubro de 2017. Dois meses depois, a FIFA anunciou a punição em primeira instância de um ano ao jogador. Ainda no mesmo mês, os advogados do peruano conseguiram reduzir a pena para seis meses, o que permitiu que o atacante disputasse a partida entre Flamengo e Internacional, no dia 6 de maio, e também Chapecoense e Flamengo, uma semana depois, quando voltou a marcar um gol. Um dia após a partida contra o time catarinense, o TAS anunciou a ampliação da punição para 14 meses, o que tiraria o peruano da Copa.

Guerrero e sua defesa alegam que o agente metabólico da cocaína encontrado no exame do jogador foi por causa da ingestão de chá de coca que foi consumido para minimizar os efeitos de altitude. A bebida é muito comum em países andinos como o Peru, no caso.

ABRE ASPAS

Comunicado emitido pelo TAS
“Efeito suspensivo requerido por Paolo Guerrero garantido pelo presidente da I Divisão Civil da Corte Federal garante a Apelação do jogador peruano de futebol Paolo Guerrero contra a decisão ainda não resolvida do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), um efeito suspensivo superprovisório. O aumento da punição do TAS de seis para 14 meses por quebrar o regulamento anti-doping da Fifa não tem, por ora, efeito.”

Paolo Guerrero - atacante do Peru e do Flamengo
“Minha batalha segue e seguirá a cargo dos meus advogados, a quem também agradeço. Eu me uno a minha seleção e, junto aos meus companheiros, me comprometo a dar o melhor de mim para dar as melhores alegrias ao meu país. Hoje não há sonhos impossíveis, porque está demonstrado que, quando os peruanos se unem, tudo é possível.”

Edwin Oviedo - presidente da Federação de Futebol do Peru
“Queria compartilhar minha imensa alegria que Paolo tenha o direito de disputar a Copa do Mundo. Alegria não só por parte da federação, mas de todo o povo peruano.”

foto: Twitter/@TuFPF