João Moreira     |       30 jan 2018

Quem é o Nacional do Uruguai?

Um dos gigantes do continente. Esse é o adversário da Chapecoense nesta quarta-feira pela Copa Libertadores. A história do tricolor uruguaio dispensa apresentações. Já o presente é motivo de esperança para o torcedor da Chape. O Bolso não vive um bom momento. Ficou em terceiro lugar no Clausura, trocou de treinador e sofreu duas derrotas diante do rival Peñarol nos últimos 10 dias, uma delas válida pela Supercopa do Uruguai.

COMO JOGA?

Alexander Medina comandou o time em apenas dois jogos até o momento, por essa razão ainda não é possível cravar uma formação. No primeiro jogo, ele utilizou o 4-3-3 ofensivo. Já no segundo, optou por um 4-5-1 mais cauteloso. A tendência é que o treinador opte pela segunda opção, uma vez que um empate fora de casa é visto com bons olhos para o time de Montevidéu. Certeza mesmo é só que o zagueiro Polenta não poderá jogar porque está suspenso. Quem também deve debutar com a camisa tricolor é o atacante Gonzalo Bergessio, que chega ao clube com a missão de suprir a carência de gols da equipe.

LIBERTADORES

O Nacional joga a Libertadores como nós levantamos para pegar um copo d’água. É normal e constante. O clube é o recordista de participações no torneio ao lado do Peñarol, com 48 presenças. O clube ostenta 6 finais de Libertadores: 3 títulos e 3 vice-campeonatos. Na última edição, o Nacional caiu no mesmo grupo da Chapecoense. Em Chapecó, empate por 1 a 1. No Uruguai, o Nacional acabou vencendo por 3 a 0. Posteriormente, o time uruguaio acabou sendo eliminado nas oitavas de final pelo Botafogo, com duas derrotas.

PRINCIPAIS TÍTULOS

Tem que respeitar e muito a história do Nacional. Nos 118 anos de história do Decano, títulos não faltam:
- 3x Mundial (1971, 1980 e 1988)
- 3x Copa Libertadores (1971, 1980 e 1988)
- 2x Copa Interamericana (1971 e 1980)
- 1x Recopa Sul-americana (1989)
- 46x Campeonato Uruguaio (último título: 2016)