João Moreira     |       22 mar 2018

Denúncia de abuso de menores nas categorias de base do Independiente

Uma bomba estourou no Independiente (ARG) na noite desta quarta-feira. Não foi uma bomba no sentido literal, mas os estragos são tão desastrosos quanto a de uma explosão. Uma denúncia que partiu de dentro do clube acusa a existência de uma rede de prostituição que envolve jogadores da categoria de base do time de Avellaneda.

De acordo com a acusação feita por um dos adolescentes que era obrigado a se prostituir, atletas de 16 e 17 anos foram envolvidos em programas com homens mais velhos durante os últimos quatro meses pelo valor de 1 mil pesos por encontro (R$162,00). A denúncia foi feita a um dos psicólogos do clube, que imediatamente reportou à direção e, consequentemente, às autoridades. As primeiras informações dão conta que cerca de 20 adolescentes eram submetidos à prostituição. Um dos responsáveis pela rede seria um jogador da categoria juvenil (19 anos) do próprio clube. Além deste atleta, um árbitro que apita os campeonatos de categoria de base também teria participação no abuso, mas como cliente.

O diretor das categorias de base do Independiente, Fernando Berón, confirmou que há uma investigação em andamento, mas não quis dar mais detalhes. O caso está sendo tratado pelas autoridades como abuso de menores e facilitação de abuso. Apurações da imprensa argentina apontam que o jogador do juvenil da equipe já foi identificado e foi dispensado imediatamente pelo clube.

Até o fim da noite desta quarta-feira, o Independiente não emitiu nenhum comunicado oficial sobre o caso.

Foto: clarín.com