João Moreira     |       19 abr 2018

Flamengo joga mal e tropeça no Santa Fe

Clima melancólico no Maracanã. A começar pela falta de torcida. Depois, pela de futebol. Por fim, pelo resultado. Com as arquibancadas vazias por conta da punição pelas confusões no ano passado, o Flamengo tropeçou e ficou no empate em 1 a 1 com o Santa Fe.

PRIMEIRO TEMPO

No início de jogo, apenas um time atacava. O Flamengo dominava a posse de bola e criava as principais chances de gol. Foi assim que logo aos quatro minutos, Diego deu uma cavadinha para Lucas Paquetá e recebeu de volta, na entrada da área. Mas a finalização do meia foi para fora.

Depois de martelar, saiu o gol. Diego cobrou escanteio, o goleiro Zapata não saiu do gol e Henrique Dourado se antecipou para marcar, de cabeça. Foi apenas o segundo gol dele com bola rolando desde que chegou ao rubro-negro. Dos seis gols em 2018, quatro foram de pênalti.

A pressão continuava. Rodinei cobrou escanteio, Paquetá desviou e a bola sobrou para Juan, na cara do gol. Mas o Zapata tava lá pra se redimir na falha no gol do Fla.

O domínio era absurdo do Flamengo. Diego ainda tocou em profundidade para Everton Ribeiro, mas o Zapata saiu bem para ficar com a bola.

O primeiro chute a gol dos colombianos só saiu aos 18 minutos, quando Vargas cobrou falta nas mãos do goleiro Diego Alves.

Aos 24, Paquetá deu belo passe pro Vinicius Júnior sair na cara do gol. Tesillo se antecipou e recuou a bola para Zapata. O juiz deu tiro indireto.

Na cobrança, Paquetá rolou pro Diego bater. A bola desviou no Vargas e foi por cima.

O Flamengo era muito superior, mas a boa atuação parava por ali. E sabe aquele papo de quem não faz, toma? Então, o Santa Fe acredita nisso. E aos 30 minutos, Diego saiu jogando errado. Plata arrancou com ela, invadiu a área e rolou para o artilheiro Morelo só completar pras redes. 1 a 1!

Um baita balde de água fria nos cariocas, que sentiram o gol de empate. O Santa Fe se soltou e passou a gostar do jogo. Numa dessas provas de que o pessoal de Bogotá estava curtindo foi quando Morelo tocou para Pajoy arriscar de fora da área, mas a bola foi nas mãos de Diego Alves.

O Fla só voltou a incomodar mesmo aos 42 minutos, quando Rodinei recebeu com liberdade na direita e cruzou à meia altura para Henrique Dourado pegar de coxa, de primeira, pra fora!

SEGUNDO TEMPO

Na segunda etapa, toda aquela empolgação do Flamengo no início do jogo, parecia ter desaparecido. Eram poucas as chances. O jogo estava amarrado.

Aos 10 minutos, o técnico Maurício Barbieri demonstrou certa ousadia. Duas substituições de uma vez. Henrique Dourado deu lugar ao garoto Lincoln, enquanto William Arão entrou na vaga de Everton Ribeiro. Detalhe é que tanto o Ceifador, quanto Everton Ribeiro fizeram cara de poucos amigos ao deixarem o campo.

Dois minutos depois, finalmente uma boa jogada rubro-negra. Lincoln tocou pra Vinícius Júnior bater para fora.

Aos 14, Diego arrancou com a bola pela esquerda e rolou para Vinícius Júnior cruzar. A bola chegaria em Lincoln, se a defesa não afastasse o perigo.

O Santa Fe assustava nos contra-ataques. Foi assim que Plata arrancou pela direita, deixou Renê pra trás e cruzou. William Arão foi mais esperto e cortou o perigo antes da chegada de Vargas.

A resposta rubro-negra veio logo na sequência. Depois do escanteio, o goleiro Zapata voltou a sair errado. Lincoln aproveitou e a bola ficou com Vinícius Júnior na pequena área, mas ele bateu por cima.

Mais uma chance. Diego cobrou falta da intermediária e a bola chegou para William Arão cabecear por cima.

Para não dizer que o jogo estava feio, aos 29 minutos teve um lampejo de brilhantismo. Na esquerda, Lincoln deu um chapéu em Arboleda e cruzou para Lucas Paquetá emendar de bicicleta. Por cima do gol de Zapata.

No minuto seguinte, o técnico Maurício Barbieri certamente ouviria vaias se houvesse torcida no maraca. Ele tirou Vinícius Júnior, um dos melhores em campo, para dar lugar a Geuvânio.

Se não empolgava como no início de jogo, o Flamengo ia pra cima na base da raça na reta final. A grande chance veio aos 36 minutos. Depois do escanteio, Juan cabeceou e Zapata fez grande defesa. A bola voltou para Lucas Paquetá, mas Soto, em cima da linha, salvou o time colombiano.

Tava difícil! Aos 42, Paquetá encontrou Diego, que invadiu a área com liberdade, escolheu o canto, mas parou no goleiro Zapata.

No último lance do jogo, a chance de mudar a história. Falta do lado esquerdo da área. Diego na bola. O camisa 10 levantou, mas a defesa afastou, tempo do árbitro apitar pela última vez no Maracanã.

IMPRESSÕES

Resultado decepcionante para o Flamengo que, mesmo empatando em casa, fica na liderança do grupo 4, com cinco pontos. O Santa Fe vem logo atras, com três pontos. Mas ambos com um jogo a mais. Vale lembrar que River Plate e Emelec jogam nesta quinta-feira.

Foto: Twiter/ESPNagora