João Moreira     |       19 abr 2018

Libertad bate o Peñarol e é o único 100% na Libertadores

O Peñarol foi ao vizinho Paraguai buscar uma vitória para encostar no líder do grupo 3, o Libertad. O único problema é que o líder era o adversário desta noite. Pouco comentado e longe dos holofotes, o time paraguaio entrou na rodada, ao lado do Corinthians, como a única equipe a não sofrer gols na competição até então. Parada dura para os carboneros.

PRIMEIRO TEMPO

Disposto a descer a Bacia do Rio da Prata de volta pro Uruguai com os três pontos na bagagem, o Peñarol se imaginou jogando no Campeón Del Siglo e se lançou para o ataque desde o começo. Ofensivo e muito intenso, os manyas criaram diversas chances nos primeiros 25 minutos de jogos.

Não à toa, o goleiro uruguaio Rodrigo Muñoz, do Libertad, teve o status elevado ao de herói após fazer alguns milagres. Apesar do volume de jogo, o Peñarol pecava muito naquele último passe para definir as jogadas.

O Libertad, por sua vez, não conseguia se organizar em campo e, nas poucas vezes que conseguiu, criou algumas chances. A principal delas no fim do primeiro tempo, mas Lucena acabou chutando a bola por cima do gol na entrada da área.

SEGUNDO TEMPO

Mal deu tempo das equipes pisarem no gramado do estádio Nicolás Leoz e o Gabriel “Toro” Fernández tratou de roubar as atenções. Logo aos 2 minutos, o garoto ganhou a disputa de bola na linha central, livrou-se da marcação e partiu em disparada em direção à área adversária. Cara a cara com o goleiro, só teve o trabalho de tocar no canto e correr pro abraço. 1 a 0 Peñarol.

O gol gerou dois efeitos: o susto fez o Libertad partir para o ataque, enquanto o Peñarol recuou para segurar o resultado. O que essa combinação proporcionou? Uma pressão imensa dos donos da casa.

Os uruguaios iam se segurando graças às defesas do goleiro Kevin Dawson. Mas tem hora que mesmo com goleiro salvando a bola entra. Foi assim o empate paraguaio. Cruzamento pra área, Salcedo cabeceou, Dawson defendeu e, no rebote, o próprio Salcedo empurrou pra rede. 1 a 1.

Faltando 15 minutos para o fim, já era interessante para os visitantes diminuir o objetivo de três pontos para um. E eles quase conseguiram. Quase porque aos 45 minutos, Rodrigo Rojo recebeu o vermelho por falta na esquina da área.

Antes o prejuízo do Peñarol fosse apenas aguentar os últimos minutos com 10 homens em campo. O castigo foi pior: Cardozo bateu a falta com violência e precisão. A bola entrou no canto esquerdo do gol de Dawson. 2 a 1 Libertad. Vitória no final e 100% de aproveitamento na Libertadores.

IMPRESSÕES

O Peñarol atuou de forma bipolar nesta noite: foi um time até marcar o gol e outro depois que o fez. Mostrou ofensividade e intensidade enquanto buscava o resultado positivo. O erro foi ter recuado após consegui-lo. A equipe uruguaia está com 3 pontos empatada com Atl. Tucumán e The Strongest. Se não abrir o olho, pode mais uma vez ficar pelo caminho na fase de grupos. O alento é que terá dois jogos em casa no returno.

O Libertad segue surpreendendo na Copa. Única equipe com 100% de aproveitamento na competição, melhor ataque com 7 gols e apenas um gol sofrido até aqui. Vale a pena ficar atento para ver até aonde essa equipe comandada por Aldo Bobadilla pode ir.

Foto: Twitter/Libertad_Guma