João Moreira     |       27 fev 2018

Raio-X da Libertadores: Grupo do Corinthians

Embalado pela vitória expressiva no clássico contra o Palmeiras, o Corinthians estreia na Libertadores nesta quarta-feira diante do Millonarios, em Bogotá. O clube paulista está no grupo 7 ao lado também de Independiente (ARG) e Deportivo Lara (VEN). Campeão em 2012 da competição, o Timão tem um caminho, digamos, que só o próprio Corinthians pode complicar até as oitavas de final. Os comandados de Carille têm tudo para levar o time à próxima fase.

MILLONARIOS - COLÔMBIA
Destaque: Ricardo Ovelar, atacante

Adversário da estreia corintiana, o Millonarios não vive um bom momento no campeonato colombiano. Apesar de ter conquistado a Supercopa da Colômbia no início do ano, a equipe de Bogotá ocupa a 16ª posição na tabela, com 5 pontos em 5 jogos. Os Millos entram nesta edição como a equipe colombiana mais fraca no momento. Apesar disso, o técnico Miguel Russo espera conseguir dificultar as coisas para os dois grandes favoritos do grupo: Corinthians e Independiente. O grande destaque é o atacante Ricardo “Búfalo” Ovelar. O paraguaio é o homem-gol da equipe. Já na parte defensiva, holofotes no goleiro venezuelano Fariñez. O jogador de 20 anos é uma das grandes revelações do futebol sul-americano. A equipe divide o uso do estádio El Campín com o rival da mesma cidade, o Santa Fe.

INDEPENDIENTE - ARGENTINA
Destaque: Meza, meia

Recordista de títulos na Libertadores (7), atual campeão da Copa Sul-Americana e vice-campeão da Recopa, o Independiente chega cheio de moral e muito empolgado para a disputa da Libertadores. O técnico Ariel Holan vem fazendo um ótimo trabalho à frente do Rojo e, apesar de ter perdido seu principal jogador, o meia Barco (vendido para o futebol dos EUA), conseguiu manter a base do time vitorioso do ano passado e ainda se reforçou. O talentoso meia Gaibor chegou do Emelec para ocupar o lugar de Barco. Ao lado de Meza, ele terá a missão de fazer a bola rodar na meia-cancha da equipe. O experiente e corpulento atacante Gigliotti é o responsável por colocar a bola na rede. Lá atrás, a confiança é depositada no goleiro uruguaio Martín Campaña, vide o desempenho do rapaz na final da Recopa contra o Grêmio. Uma das provas de que o time argentino foi feito para este torneio é o nome de seu estádio: Libertadores da América. Com capacidade para 52 mil pessoas, a casa do Rey de Copas pulsa lotada em dias de competições internacionais.

DEPORTIVO LARA - VENEZUELA
Destaque: Falcón, atacante

A Libertadores de 2018 deve servir para os jogadores e integrantes da comissão técnica do Deportivo Lara acumularem milhas aéreas, já que desportivamente a chance de um fiasco ocorrer é iminente. Sem tradição alguma no torneio, assim como quase todos os clubes venezuelanos (exceção ao Dep. Táchira, que de vez em quando faz um graça), o time da província de Lara vai para a segunda disputa do torneio. A esperança do time em incomodar alguém na competição é o recém-contratado Juan Falcón. O atacante de 29 anos tem experiência na seleção venezuelana e no futebol francês. O Dep. Lara manda seus jogos no estádio Metropolitano, na cidade de Maturín e que tem capacidade para 40 mil pessoas.

BOLA DE CRISTAL
Classificados: 1. Independiente/2. Corinthians

O Independiente leva certa vantagem em relação a conquistar à primeira vaga do grupo graças ao elenco com mais opções e mais “cascudo” a esse tipo de torneio. O Corinthians não deve ter dificuldades em assegurar a segunda vaga. O confronto direto entre os dois times deve fazer com que o clube argentino lidere a chave. O Millonarios deve tentar fazer o dever de casa nas partidas como mandante, mas não irá longe. Assim como o Deportivo Lara, que será mero espectador do grupo.