João Moreira     |       27 fev 2018

Raio-X da Libertadores: Grupo do Flamengo

O Flamengo estreia nesta quarta-feira diante do River Plate (ARG) num jogo atípico: a partida será disputa no estádio Nilton Santos e sem torcedores, como resultado da punição que a Conmebol impôs ao clube carioca após os incidentes causados pela torcida flamenguista na final da Copa Sul-Americana de 2017. Apesar da punição, que dura até o segundo jogo como mandante, o Rubro-negro tem boas chances de avançar à próxima fase, mas tem que tomar cuidado, porque o grupo 4 é bem traiçoeiro. Emelec (EQU) e Santa Fe (COL) são equipes acostumadas a jogar a Libertadores e não devem entregar as duas vagas da chave tão fácil assim.

RIVER PLATE - ARGENTINA
Destaque: Lucas Pratto, atacante

Tricampeão da Libertadores, o River vem para a competição como um dos favoritos. Campeão em 2015 e semifinalista em 2017 da Liberta, o time argentino busca sair da crise que vive no campeonato argentino. A equipe ocupa a 21ª posição e só tem 19 pontos. Os Millonarios conquistaram apenas uma vitória nos últimos cinco jogos. Mas nada como uma Libertadores para levantar a moral do time. Recheado de jogadores renomados como o goleiro Armani (campeão da Libertadores em 2016), o volante Ponzio, o meia Enzo Pérez e os atacantes Scocco e Pratto (ex-São Paulo), o River é forte candidato a conquistar uma das vagas nas oitavas de final. Para a estreia contra o Flamengo, o técnico Marcelo Gallardo não vai poder contar com o meia Pity Martínez.

EMELEC - EQUADOR
Destaque: Jéfferson Montero, meia

Figura carimbada na Copa Libertadores, o Emelec sempre pinta como uma equipe interessante, mas que nunca consegue avançar além das quartas de final. Os Elétricos têm uma equipe baseada na velocidade e na habilidade de seus jogadores. Apesar de ter perdido o meia Gaibor (vendido para o Independiente), o clube agiu e foi buscar o meia Jéfferson Montero na Premier League para se reforçar. O técnico uruguaio Arias ainda conta com jogadores de ótima técnica como Ayrton Preciado e Brayan Angulo. O grande trunfo do time é o reformado estádio George Capwell com capacidade para 40 mil pessoas e o calor de Guayaquil. Os dois fatores fazem da cancha do Emelec um caldeirão.

SANTA FE - COLÔMBIA
Destaque: Morelo, atacante

O time colombiano chegou até a fase de grupos ao eliminar Deportivo Táchira e Santiago Wanderers nas fases anteriores. A equipe comandada pelo uruguaio Gregorio Pérez usa e abusa da tradição colombiana no futebol: muita posse de bola, troca de passes e velocidade no ataque. O atacante Wilson Morelo é o artilheiro da atual edição da Libertadores, com 6 gols, e é municiado por dois pontas muito velozes: Plata e Pajoy. O ponto fraco do time é o desempenho fora de casa, já que nas últimas três participações o time conquistou apenas 4 vitórias em 12 jogos como visitante. A equipe manda seus jogos no estádio El Campín em Bogotá, empurrada por uma torcida fanática e pelos 2.600m de altitude.

BOLA DE CRISTAL
Classificados: 1. Flamengo/2. River Plate

Flamengo e River Plate devem ficar com as vagas para as oitavas de final. Apesar do histórico de fiascos do time carioca na competição e do péssimo momento do clube argentino, os elencos estrelados e experientes das duas equipes devem fazer a diferença. Mas a tarefa não será fácil. Emelec e Santa Fe são equipes encardidas e que gostam de jogar a Libertadores. Se Flamengo ou River cochilarem, pode pintar surpresa na classificação. A obrigação para quem quiser avançar é não perder pontos em casa.