João Moreira     |       28 fev 2018

Raio-X da Libertadores: Grupo do Santos

Tricampeão da Libertadores, o Santos estreia nesta quinta-feira na competição fora de casa diante do Real Garcilaso (PER). O Peixe é um dos favoritos para avançar no chave, porém tem a concorrência de outros dois rivais tradicionais no grupo 6: Nacional (URU) e Estudiantes (ARG). Para o jogo desta quinta no Peru, o técnico Jair Ventura não poderá contar com uma das esperanças do clube para a temporada, o atacante Bruno Henrique, que segue se recuperando de lesão. O grande adversário da equipe deve ser os 3.400m de altitude de Cusco. Uma curiosidade sobre o Santos é que o time não venceu em suas estreias na Libertadores nas últimas quatro participações. Ano passado, a equipe também estreou no Peru e ficou no empate por 1 a 1 com o Sporting Cristal.

ESTUDIANTES - ARGENTINA
Destaque: Lucas Melano, meia-atacante

Tetracampeão da Libertadores, o Estudiantes já viveu dias melhores na competição. O clube presidido pela lenda Juan Sebastián Verón espera melhorar o desempenho em relação ao ano passado, quando foi eliminado ainda na fase de grupos. Atualmente, os Pincharratas ocupam a 10ª posição no campeonato argentino e perderam apenas uma partida na temporada. O time tem algumas figuras conhecidas como os zagueiros Desábato (acusado de racismo em 2005 pelo Grafite) e Fabián Noguera (contratado junto ao Santos), além do atacante “Gata” Fernández (campeão da Libertadores em 2009 e com passagem pelo Grêmio).

NACIONAL - URUGUAI
Destaque: Viudez, atacante

Assim como o Santos, o Nacional também é tricampeão da Copa Libertadores. O time de Montevidéu teve que passar por Chapecoense e Banfield (ARG) na Pré-Libertadores para chegar na fase de grupos. O Bolso não havia começado muito bem o ano, mas o técnico Alexander Medina vem colocando a equipe nos trilhos. O Nacional lidera o campeonato uruguaio com quatro vitórias em quatro jogos, 13 gols marcados e apenas 3 sofridos. O lateral Jorge Fucile, ex-Santos, é o nome mais conhecido dos uruguaios. O ataque do Tricolor conta com a mira apurada do argentino Bergessio, que chegou ao clube para a disputa da Libertadores e já é o artilheiro da equipe com 6 gols em 4 jogos. Um dos trunfos do Nacional é o estádio Gran Parque Central. Acanhado e histórico, o estádio tem capacidade para 30 mil pessoas.

REAL GARCILASO - PERU
Destaque: Santillán, lateral-esquerdo

Equipe mais frágil do grupo, o Real Garcilaso deve ser presa fácil dos adversários fora de casa. Quando jogar em Cusco, o time peruano deve contar com seu principal “reforço”: os 3.400m de altitude da cidade. A equipe comandada por Óscar Ibáñez vem oscilando nesse comecinho de temporada e deve tentar se encaixar ao longo da Libertadores. O Real Garcilaso retorna à competição após quatro anos sem participar. Em 2014, o clube perdeu 5 dos 6 jogos que disputou no torneio. O objetivo do Garcilaso é tentar fazer um papel minimamente digno num grupo recheado de campeões.

BOLA DE CRISTAL
Classificados: 1.Nacional/2. Santos

Grupo com mais títulos da Libertadores (10), a chave está bastante equilibrada. Santos, Nacional e Estudiantes brigam em pé de igualdade pelas duas vagas para as oitavas de final. Santos e Nacional levam pequena vantagem por estarem em um melhor momento em relação ao time argentino. Quem vai assistir essa briga de camarote é o Real Garcilaso, que deve ser o fiel da balança na hora da classificação.