João Moreira     |       18 abr 2018

Tucumán conquista vitória histórica e respira no grupo 3

The Strongest e Atlético Tucumán entraram em campo na noite desta quarta-feira com a mesma obrigação: vencer! Para os bolivianos, o objetivo soava mais fácil, já que contava com o fator casa e com o 12º jogador chamado altitude. Os donos da casa ainda contavam com um acréscimo no fator anímico: a reestreia do técnico venezuelano César Farias, que passou pela equipe em 2016 e 2017. Para o Tucumán a tarefa era um pouquinho mais difícil, uma vez que chegou à 3ª rodada sem conquistar um mísero ponto na competição e com a corda no pescoço.

PRIMEIRO TEMPO

Como é de praxe quando tem jogo em La Paz, a equipe dona da casa assume o controle da partida desde o início e busca sufocar o adversário no campo de defesa. Desta vez não foi diferente, exceto por um detalhe: o gol precoce do time argentino.

Aos 11 minutos, Nicolas Romat recebeu a bola no meio-campo e foi caminhando com ela sem ser incomodado. O camisa 4 aproveitou a liberdade e calibrou um chutaço do meio da rua. A altitude e a precisão da batida fizeram a bola morrer no ângulo do goleiro Peñarrieta. Gol surpreendente e importante.

A partir da vantagem, o que se viu foi o The Strongest forçar ainda mais a barra pra cima do rival, que a cada minuto que passava parecia perder um pedaço do pulmão. O problema da equipe boliviana é que o famoso último passe estava um desastre. Não à toa o empate veio numa jogada que não teve nada de trabalhada. Escanteio pra área, bate-rebate, novo cruzamento pra área e o Ibarguen deixou tudo igual.

Com pouco menos de 10 minutos até o fim da primeira etapa, os argentinos recuaram e não faziam questão de ficar com a bola, o que gerou uma posse de 73% para o Strongest no primeiro tempo.

SEGUNDO TEMPO

Um duelo de ataque e defesa. Assim começou o segundo tempo e assim também se desenrolou até os 30 minutos. O que se via era o Strongest atacando pelo lado esquerdo, direito, pelo meio, por cima, por baixo e a zaga argentina sendo testada a cada instante. Quando os defensores do Tucumán não conseguiam segurar o ataque a rival, a trave fazia esse papel, como na falta cobrada pelo Martelli e em um escanteio perigosíssimo.

Sabe quando você percebe que um time pode passar a noite toda ali martelando que não vai conseguir furar? Pois é, era essa a impressão que se tinha a cada ataque de Pablo Escobar e companhia.

Pra dar mais requintes de crueldade ainda, na única jogada de ataque do Tucumán nos 45 minutos finais, a zaga boliviana mostrou o caminho de Eldorado para os argentinos. O zagueiro Rafael García optou pela bola longa pra ligar o ataque e a zaga boliviana acabou fazendo uma grande lambança. A bola sobrou pro Álvarez, que bateu por cobertura. A bola caprichosamente tocou no chão, no travessão e voltou pra pequena área. A sorte do Tucumán é que o Toledo acompanhou a jogada e de peixinho colocou o 2 a 1 no placar.

O gol “só” mudou o placar porque a tônica do jogo continuou a mesma: massacre do ataque boliviano e inúmeras chances perdidas, ora por incompetência, ora por desejo do destino. De nada adiantou os 70% de posse de bola, os quase 30 chutes a gol e a altitude. Quem ganhou no fim foi o time que colocou o coração na ponta da chuteira e que estava numa noite iluminada defensivamente.

IMPRESSÕES

Primeira vitória de um time argentino em La Paz depois de 63 anos. 1970. Essa foi a escrita que o Atlético Tucumán apagou da história. Mais importante e atual do que isso é que a vitória colocou o time argentino de volta na briga por uma das vagas na próxima fase. Com dois jogos em casa para realizar ainda, o Decano de Tucumán pode sonhar em complicar a vida de Libertad e Peñarol, 1º e 2º do grupo, respectivamente.

Para o Strongest a derrota foi dolorosa não só pelo placar, mas também pela forma como ela veio. Controle total do jogo, inúmeras chances criadas e dois gols sofridos em falhas do sistema defensivo. O experiente treinador César Farias vai ter trabalho para classificar a equipe à próxima fase, já que o principal aliado do time, a altitude de La Paz, só estará presente em apenas um jogo deste returno da fase de grupos.

Foto: Twitter/LaGacetaTucuman