Renato Bernardes     |       03 abr 2018

Miami mudou o topo do ranking

Fim do Masters 1000 de Miami e os tenistas do circuito mundial começam a respirar um pouco neste fim do primeiro quarto de temporada. O segundo Masters 1000 do ano mudou bastante o ranking da ATP, o top 10 principalmente. Teve gente pegando o elevador e subindo 20 posições, mudanças significativas entre os 20 primeiros e alguns tenistas chegando ao seus “career high”. Hora de dar uma olhada na lista.

NOVO-VELHO NÚMERO 1

Com Roger Federer sendo eliminado na segunda rodada para o qualy Thanasi Kokkinakis, da Austrália, o espanhol Rafael Nadal reassumiu a liderança do ranking mesmo sem jogar o Masters 1000 de Miami. Isso porque Federer perdeu os pontos que defendia pelo título na Flórida.

TÍTULO E VOLTA AO TOP 10

O troféu em Miami colocou o americano John Isner de volta ao top 10 do ranking da ATP. Ao todo o gigante subiu oito posições. Aos 32 anos, o melhor sacador do circuito mostra que ainda tem lenha para queimar e retornou ao seleto grupo que adentrou pela primeira vez em abril de 2012, ou seja, nenhuma novidade para um tenista experiente como ele.

DOIS JOVENS NO AUGE

Como se convencionou chamar no mundo do tênis, dois tenistas chegaram aos seus “career high”, nada mais que a melhor posição já alcançada no ranking. Voando nesta temporada, Hyeon Chung subiu 4 posições e já aparece como 19 do mundo. Outro que cresceu muito nos últimos 2 meses, o croata Borna Coric pulou 8 postos na lista e é o 28 do ranking.

QUEM MAIS SUBIU?

O grande campeão neste quesito foi o bósnio Mirza Basic, de 26 anos, que pegou o elevador, subiu 20 posições e já aparece no top 100, número 95 do mundo.

O QUE VEM POR AÍ?

Agora começa a temporada do saibro, já que no mês que vem temos o segundo Grand Slam da temporada, Roland Garros. 15 de abril a bolinha sobe para o Masters 1000 de Monte Carlo, principal desafio antes do torneio parisiense.

Foto: Abierto de Tenis Los Cabos