João Moreira     |       07 jun 2018

Geração belga desencanta e vence o Egito

Apontada desde sempre como uma das possíveis candidatas à surpreender na Copa, a Bélgica e sua ótima geração passearam nesta quarta-feira diante do Egito. Liderados por Hazard, os belgas fizeram 3 a 0 num duelo em que a supremacia europeia foi a tônica. A Bélgica, que havia empatado sem gols com Portugal, ainda faz mais um teste antes do Mundial: enfrenta a Costa Rica na segunda-feira. A seleção belga está no grupo G ao lado de Panamá, Tunísia e Inglaterra. Já o Egito, que segue sem contar com sua principal estrela, Mo Salah, não venceu nenhum amistoso de preparação para a Rússia. Os africanos empataram em 1 a 1 com o Kuwait, ficaram no 0 a 0 com a Colômbia e agora perderam para a Bélgica. Os faraós fazem a estreia no Mundial no dia 15 contra o Uruguai, depois encaram a Rússia e fecham o grupo A diante da Arábia Saudita.

O JOGO

Como já era de se esperar, a missão da Bélgica diante do Egito seria facilitada devido à ausência do lesionado Salah. E realmente foi isso o que aconteceu. O jogo começou corrido e com muita pressão dos belgas, que quase abriram o placar com Carrasco. Os egípcios se defendiam e faziam uma marcação muito forte, por vezes dura, para tentar frear o ímpeto ofensivo adversário. Aos poucos, Hazard, De Bruyne, Lukaku e companhia iam conseguindo achar espaços e assustar o rival com chutes perigosos, que ora paravam no goleiro, ora iam para fora. O Egito tentou assustar em raros ataques, mas concluía mal as poucas chances que criava. O gol que inaugurou o placar nasceu de um chute rasteiro de Hazard que o goleiro El Hadary deu rebote. Lukaku, oportunista e com faro de gol, só empurrou pra rede. 11 gols nos últimos 11 jogos pela seleção. Grande fase do atacante do Manchester United. O segundo veio numa bobeada da zaga. Carrasco bateu a carteira de Fathy, invadiu a área e rolou para Hazard bater firme pro gol. 2 a 0. Na segunda etapa, o jogo esfriou graças às diversas alterações realizadas por ambos os treinadores. Com a vantagem tranquila no placar, a Bélgica apenas tentava manter a posse de bola e evitava jogadas arriscadas para poupar seus jogadores. Num dos lampejos ofensivos da seleções belga no segundo tempo, Batshuayi fez boa jogada pela direita e cruzou rasteiro para Fellaini, na pequena área, empurrar pra rede e fechar o placar. 3 a 0 e atuação convincente da sempre promissora geração belga.

ESTATÍSTICAS

Posse de Bola - (BEL) 58% / 42% (EGI)
Chutes a gol - (BEL) 20 / 7 (EGI)
Chutes no gol - (BEL) 9 / 1 (EGI)
Escanteios - (BEL) 8 / 2 (EGI)
Impedimentos - (BEL) 1 / 3 (EGI)
Faltas - (BEL) 8 / 7 (EGI)

ESCALAÇÕES

Bélgica: Courtois; Alderweireld, Ciman, Vertonghen (Boyata); Meunier (Thorgan Hazard), Kevin De Bruyne, Witsel (Fellaini), Carrasco; Mertens (Chadli), Edwin Hazard (Januzaj) e Lukaku (Batshuayi).
Técnico: Roberto Martínez

Egito: El Hadary (El Shenawy); Fathy (Mohamady), Ali Gabr, Hegazi, Abdul Shafy; Hamed (Morsy), Elneny, Sobhi (Kahraba), Warda (Gaber), Bekhit; Mohsen (Trézéguet).
Técnico: Héctor Cúper

Gols: BEL - Lukaku (26’ 1T), E. Hazard (37’ 1T) e Fellaini (46’ 2T)

Foto: Twitter/@BeRedDevils